Porque é que tenho tosse?

A tosse é um mecanismo de defesa natural posto em prática pelo nosso organismo.
Todos nós conhecemos o seu aspeto mais incomodativo, sobretudo quando se torna mais persistente. Na realidade, a tosse desempenha um papel importante que é preciso conhecer e lembrar quando a enfrentamos.

Quer se trate de um reflexo ou de uma ação involuntária, a tosse não é mais do que uma manobra forçada de expulsão do ar dos pulmões.

Ao tossir, libertamos as vias respiratórias de quaisquer substâncias estranhas e/ou irritantes presentes. Um papel particularmente importante é desempenhado pela mucosa das vias respiratórias superiores. Com efeito, esta é a nossa primeira barreira protetora. Assim que entra em contacto com substâncias irritantes, a mucosa ativa um sinal de alarme, inflamando-se e provocando tosse.

 

Grintuss Adult xarope
tratamento de tosse seca e gordurosa

Tosse seca e tosse produtiva: como reconhecê-las

Podem existir tipos de tosse diferentes, cada um deles com origens e razões diferentes.

Tosse seca: causas e sintomas

Fala-se de tosse seca quando não há produção de muco ou de catarro. Neste caso, a tosse é desencadeada pela irritação e pela inflamação das vias respiratórias superiores devido a vírus, bactérias ou substâncias irritantes. É particularmente incomodativa e normalmente surge nos primeiros dias das infeções virais do nariz e da garganta. A tosse seca pode ser acompanhada por irritação e sensação de picadas na garganta e surgir sobretudo de noite, perturbando o sono das pessoas e provocando cansaço e irritabilidade durante o dia.

Tosse produtiva: causas e sintomas

Pelo contrário, fala-se de tosse produtiva quando há um aumento da produção de muco ou catarro. Este tipo de tosse pode ser uma evolução da tosse seca, quando a inflamação das vias respiratórias superiores leva à produção de muco mais espesso e viscoso que escorre do nariz para a faringe, onde estagna. A tosse produtiva também pode ser a consequência de doenças infeciosas agudas e crónicas das vias respiratórias inferiores (traqueia, brônquios e pulmões) que provocam a produção de muco. Por isso, é importante ter em conta quaisquer outros sinais clínicos que a podem acompanhar, nomeadamente, dificuldades respiratórias e/ou febre e/ou catarro purulento e consultar o médico para verificar a causa da tosse e obter o tratamento correto.

Tosse persistente ou aguda: quais as causas?

Em alguns casos, a tosse pode tornar-se mais obstinada e parece mesmo não querer deixar-nos. O desconforto causado pelos ataques de tosse torna-se particularmente desagradável porque se prolonga no tempo. Pode falar-se de tosse aguda quando a duração não excede as duas semanas e de tosse persistente quando o problema se prolonga até quatro semanas. A tosse persistente também pode ser produtiva ou seca e pode dever-se a vários problemas.

 

A tosse torna-se persistente quando se desencadeia uma espécie de círculo vicioso, devido ao qual nos tornamos mais suscetíveis a situações ambientais (frio, ambiente seco e poluído) que baixam o limiar do estímulo da tosse.
É muito importante ter em conta se existem outros sintomas que acompanham a tosse. Nestes casos, é aconselhável consultar um médico para identificar corretamente a causa.

tosse aguda
tosse persistente

Tosse noturna: porque é que se tosse mais na cama

O suplício da tosse, infelizmente, nem durante a noite nos deixa. Aliás, de noite pode mesmo tornar-se tão incomodativa que não conseguimos dormir. Isto acontece tanto às crianças como aos adultos. O estímulo constante de tossir provoca despertares repetidos e a interrupção do sono, com efeitos negativos para os nossos dias.

Tosse noturna: causas

Porque é que se tosse mais na cama? Certamente a posição deitada, favorecendo a compressão das vias respiratórias, torna menos fácil a respiração. Acima de tudo, em presença de inflamação, catarro e agentes irritantes o funcionamento das vias respiratórias pode complicar-se ainda mais, o que aumenta a frequência da tosse. Durante o sono, também é favorecida a acumulação do muco nas vias respiratórias e isto produz um forte estimulo de tossir. Também o hábito de respirar pela boca durante o sono e os ambientes secos podem favorecer a desidratação das mucosas das vias respiratórias superiores, produzindo irritação e, por conseguinte, tosse. Por último, a tosse noturna pode ser causada pelo contacto com substâncias irritantes (fumo do cigarro) ou com alergénios (componentes de detergentes ou amaciadores para a roupa de cama, ácaros ou pólen na almofada…).

Tosse nas crianças

Quantas vezes nos preocupamos quando uma criança está com tosse. É um distúrbio muito comum durante a infância e pode condicionar o dia e também o descanso de toda a família. Nestes casos é natural que nos perguntemos: o que fazer quando uma criança está com tosse?

 

A primeira coisa a saber é que a tosse pode ser um sintoma de diversas patologias, por isso é importante compreender se é acompanhada por outros sintomas ou não. Muitas vezes, a tosse está associada às infeções respiratórias agudas comuns das vias respiratórias superiores, a doenças virais e/ou constipações e nestes casos, não causa especial preocupação. Também pode haver casos, mais limitados, em que a tosse pode indicar a presença de uma doença mais importante, pelo que é aconselhável consultar o seu médico.

Pour enfants, sous forme de sirop à partir d’1 an.
GRINTUSS PEDIATRIC xarope

Tosse nas crianças: tipos e causas

A tosse das crianças pode ser classificada de diferentes maneiras dependendo se são levadas em consideração as causas que a desencadeiam, a duração ou as características. Se considerarmos a duração nas crianças, define-se tosse aguda a que não dura mais de duas semanas, enquanto se fala de tosse crónica quando dura mais de quatro semanas. É importante verificar as causas da tosse crónica pois pode ser determinada por patologias específicas como, por exemplo: refluxo gastroesofágico, asma brônquica, etc.

 

Principalmente no período escolar, muitas vezes acontece que os pediatras, na sua prática diária, consultem crianças com tosses que duram há muito tempo, até mesmo meses. Muitas vezes, esta não é uma condição que constitui formas crónicas, mas sim episódios agudos que se repetem e, por vezes, se sobrepõem devido à exposição contínua aos micróbios a que estão sujeitas as crianças que frequentam as comunidades escolares (as crianças normalmente podem ter até 6-8 infeções respiratórias por ano). Isto ocorre especialmente em crianças na faixa etária dos 2 aos 4 anos. Como para os adultos, fala-se de tosse seca quando não há produção de muco ou de catarro. Este tipo de tosse, particularmente incomodativa, é muito frequente em crianças e geralmente surge nos primeiros dias das infeções virais do nariz e da garganta. Posteriormente, a inflamação causada pelo vírus faz com que o nariz produza um muco mais espesso e viscoso que escorre do nariz para a faringe onde estagna, causando o tipo de tosse que na idade pediátrica é chamada produtiva. A tosse produtiva da criança deve-se, portanto, à dificuldade da criança em engolir e/ou expetorar as secreções mucosas provenientes do nariz.

Tosse na criança: 2 aspetos a ter em atenção

  1. Descongestionar o nariz: principalmente as crianças mais pequenas não conseguem limpar o nariz das secreções e isso acentua o fenómeno do corrimento nasal posterior que chega à garganta.
  2. A posição em que adormece: a posição deitada aumenta a estagnação do muco o que estimula o reflexo da tosse.
Procurar